Crédito Consolidado

O crédito consolidado pode ser a solução para quem não está a conseguir viver com o sufoco de pagar as dívidas a tempo e horas. Saber qual é a melhor proposta é muito importante. Perceba a consolidação de créditos e os cuidados a ter.

A pessoa ou empresa que pretende a consolidação de créditos deve obter o máximo de informação possível acerca deste tipo de operação para que esta seja uma solução e não problema.

Consolidação de Créditos Informação a reter

1. Antes de tomar qualquer decisão, faça o exercício do Orçamento Mensal

    • Identifique todos os créditos que têm e quais são os valores em dívida
    • Levantamento das prestações em atraso
    • Liste todas as despesas mensais do seu agregado familiar, água, luz, telefone, combustíveis, comida, todas as outras que tem mensalmente
    • Quantifique todas as receitas mensais, quer sejam rendimentos do trabalho, rendas, pensões, abonos.
    • Faça o exercício da balança, receitas a um lado, despesas do outro
    • Reduza ao máximo as despesas, e defina gastos máximos diários
    • Implemente disciplina orçamental, para si e agregado familiar, caso contrário o crédito consolidado pode não ser a solução.
    • Em caso de ter uma empresa perceba o efeito negativo ou positivo do crédito na rentabilidade dos capitais próprios, não caía na Armadilha do recurso ao Crédito.

2. Dirija-se ao banco onde contraiu os créditos

Depois do exercício do Orçamento Mensal, deverá fazer uma abordagem ao banco onde tem os seus créditos, afim de encontrar uma solução com o gestor de conta. No caso de não conseguir uma solução mais vantajosa que a actual, então pense na  consolidação de créditos. Evite o erro de contrair novo crédito para pagar prestações em atraso.

3. Pesquise no mercado as várias ofertas para o crédito consolidado.

Existem várias financeiras e bancos para consolidação de créditos, todos eles lhe vão dizer que tem a melhor solução, mas cabe a si a decisão final.

Analise minuciosamente as várias simulações solicitadas,  compare taxas de juros e/ou comissões associados ao novo crédito, a taxa a reter é a TAEG-taxa anual efectiva global, compare o prazo de pagamento das prestações, no caso de ter dificuldades neste tipo de análise peça ajuda à DECO, ou o SOS Famílias Endividadas

4.  Peça apoio à DECO e SOS Famílias Endividadas

Estas instituições tem técnicos especializados, financeiros, economistas e juristas que o vão ajudar a encontrar a melhor solução para si ou para a sua empresa e evitar o fim da linha que é a insolvência.

Fórmula para calcular  o valor dos Créditos em Dívida

A operação de Crédito Consolidado é uma decisão delicada e que pode melhorar ou condicionar o futuro das famílias e/ou das empresas, e antes de avançar para esta decisão como foi referido no ponto 1 é imprescindível a quantificação dos Créditos em dívida, esta é a fórmula a utilizar:

Crédito Total em dívida= (P-j) x M 

Em que P corresponde ao valor da prestação e j ao juro, M número de meses até liquidação total do crédito.

Vejamos um exemplo prático

Uma família tem 3 créditos bancários, que somam o valor de 1.000€ por mês em prestações.

    1. Crédito Habitação prestação de 450€/mês e faltam 120 prestações até ao final do crédito, taxa de juro 5,6%
    2. Crédito Automóvel  prestação 350€/mês faltam 34 meses, taxa de juro 13,4%
    3. Crédito ao Consumo prestação 200€/mês faltam 26 prestações, 16,8%

Ambos os elementos do casal estavam empregados e tinham em conjunto rendimentos mensais de 1.600€, um dos cônjuges ficou sem emprego o que originou a perda de rendimentos, passando a ter disponíveis apenas 1.300€.

Depois de pagar os créditos ficavam apenas com 300€ mensais para fazer face a todas as outras despesas, alimentação, água, luz, combustível, telemóvel, entre outras despesas, estavam em vias de entrar em incumprimento na prestação da casa.

Então recorreram ao Crédito Consolidado, mas sabendo que se trata de crédito que engloba todos os outros e que o período de pagamento é alargado com a redução de prestações, resolveram e bem, consolidar apenas os créditos com taxas de juro mais altas.

Fórmula para Cálculo de Crédito em Dívida =  (P-j) x M + (P-j) x M +….+

= (350-45) x 34 + (200-31) x 26

= 305 x 34 + 169 x 26

=14.762€  é o valor em dívida dos 2 créditos com taxas de juro mais caras

Portanto, o casal já sabe que para liquidar os 2 créditos de momento tem uma dívida actual de 14.762€. É este valor que é muito importante saber na hora de Consolidar os Créditos,  a partir deste momento já sabe como tem de negociar com o banco ou a entidade que lhe vai propor a consolidação de créditos.

Solicitem sempre várias simulações e a entidades diferentes, a melhor solução é a que tem a prestação menor e que o valor final a pagar não seja muito diferente dos 14.762€.

Neste caso o objectivo é reduzir as 2 prestações de (350+200)=550 para um valor mais baixo para compensar a redução de rendimento mensal (300€) a uma taxa de juro mais baixa.

Uma boa proposta seria por exemplo pagamento em 72 meses de uma prestação mensal de 230€.

O casal ficaria assim com prestações mensais de 450€ + 230€ = 680€/mês, ou seja reduziriam as prestações de 1.000€/mês para 680€/mês e ficavam com rendimento disponível de 620€ mais do dobro dos anteriores 300€.

Passe a palavra, partilhe nas redes sociais e no seu blog este artigo.

Colocar email

Talvez também goste de...

2 Respostas

  1. António Francisco Tavares diz:

    Não entendi o valor das taxas de juros, ou seja, no primeiro caso J=45 e segundo J=31

Tire as suas dúvidas e partilhe nas redes sociais.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE